As ações sócio ambientais vêm fortes nos Grito Rock

Grande parte dos festivais independentes tornam-se campus temporários de formação e convivência coletiva, as ações sócio-ambientais vêm fortes nos Grito Rockg 2016 pelo mundo.

Elaborada colaborativamente, a campanha busca acrescentar linguagens e estéticas ecológicas, permaculturais e sustentáveis ao seu festival através da promoção de valores Socioambientais. Seu objetivo é trabalhar, através das dinâmicas e tecnologias já aplicadas anteriormente em outros eventos, as questões relativas a Cultura, Sociedade e Meio Ambiente como parte da construção do festival, bem como a redução nos danos e custos ao seu entorno.

As ideias apresentadas visam difundir conceitos e práticas que possam promover a experiência de vivenciar, ao menos dentro do festival, um novo modelo de vida e de consumo consciente.

E o Ambiente?

Entender os espaços destinados a ocupação coletiva e seus impactos são pontos a serem observados e preservados dos impactos gerados por ação antrópica, como um festival. Toda e qualquer ação antrópica causa impactos ambientais. Busque entender a demanda local para promover ações de relevância, de forma a buscar o desenvolvimento da comunidade e deixar um real legado socioambiental. Procure utilizar soluções criativas para superar as demandas e desafios.

photo_2016-02-23_01-32-26

Ex: O lugar do festival parece distante? Que tal montar um roteiro ciclístico que leve seu público ao local 

O Grito Rock é uma plataforma mundial, desenvolvida colaborativamente. Na sua cidade e redondezas certamente existem muitas oportunidades de troca de conhecimento e ações socioambientais. Busque conhecê-las também, afim de desenvolverem parcerias. Nosso ambiente é um só, e ele depende muito de nós!

Mapeamento de parceiros

Ações ambientais ganham bastante amplitude quando envolvidas em eventos com tal proposta. Agentes engajados em causas socioambientais em sua maioria necessitam justamente dessa visibilidade, tanto local como nacionalmente – lembre-se: bons exemplos geram bons resultados.

Com certeza na sua cidade tem gente pensando no ambiente. Procure conhecer e mapear quem são os outros agentes em sua região que desenvolvam ações socioambientais. Essas parcerias ajudam na promoção e fortalecimento das atividades já desenvolvidas, na difusão das novas ideias, abrindo-se espaço para discussão de desdobramentos e melhoramentos.

Há por exemplo redes de produtos agroecológicos, de bio-construtores, de artesanatos locais, agricultores familiares e ITCP’s (Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares) espalhados pelo Brasil que são potenciais parceiros que agregarão nas ações de economia solidária, alimentação saudável, gestão de resíduos e construções alternativas.

Gestão de resíduos

A reciclagem é uma prática ainda pouco comum em nossos municípios e eventos em geral, que podem e devem ser vistos como grandes colaboradores na construção de novos hábitos. Por receberem grande número de pessoas de diversas classes sociais e idade, os festivais independentes são vitrines para mostrar que é possível fazer um gerenciamento adequado dos resíduos e também uma ótima oportunidade de mostrar que cada um deve ter responsabilidade sobre todo material que consome e descarta, tanto no evento quando em seu dia-a-dia.

O gerenciamento dos resíduos compreende a separação, armazenamento temporário, e destinação final. E a gestão desse processo quanto mais compartilhada, participativa e bem comunicada, maiores serão os resultados. Busque fazê-la junto a cooperativas de catadores, associações ou instituições que podem receber o material gerado. Inclua também essa narrativa nas redes sociais e placas informacionais dentro do evento, identifique os maiores resíduos de seu evento (Ex.: Copos, Latas e Panfletos) e utilize LIXEIRA SELETIVA. O cenário do seu evento permanece limpo e mostra que grandes ações podem sim ser sustentáveis.

#AdoteSuaCaneca – Grandes eventos acabam consumindo um número excessivo de descartáveis, que espalhados por todo evento só dificultam a manutenção do espaço e agridem a natureza. Sugerimos então a utilização de CANECAS e COPOS RETORNÁVEIS. É essencial disponibilizar esses copos ou canecas gratuitamente ou a preços populares para venda, reduzindo os descartáveis, oferecendo descontos nas bebidas quando utilizando os retornáveis, por exemplo. Sem contar que este é um suvenir super legal pro público levar pra casa.

photo_2016-02-23_01-36-35

#ECOLavagem – Você sabia que uma pessoa gasta em média 8 litros deixando a torneira aberta para lavar um kit refeição (prato, talheres e copo)? A lavagem ecológica é uma tecnologia social de economia e conscientização sobre o consumo de água. Se você vai construir a campanha ‘adote sua caneca’ ou vai possuir uma ‘cozinha coletiva’ no seu festival (saiba mais sobre as ‘cozinhas coletivas’ na Campanha Grito Xepa) a EcoLavagem vem complementar sua narrativa e ação sustentável. Ela é simples e consiste na utilização de três baldes de água e uma lixeira, e cumprir com 5 passos simples, veja:

Campanha GR Verde-04

Após algumas lavagens a primeira água vai ficar suja, então chegou a hora de fazer a troca da água, e você não precisa trocar todos os baldes (tai o segredo da economia).

»  Você retira o primeiro balde, joga a água dele fora e higienize-o, passe o segundo balde para o lugar do primeiro, e o terceiro pro lugar do segundo, encha seu balde limpo com água e coloque ele na terceira posição e pronto, pode continuar o ciclo de lavagem. Lembrando de trocar a água sempre que necessário. «

Não se esqueça de também utilizar a separação para os ORGÂNICOS, esses se bem selecionados poderão gerar excelentes compostos para o solo, plantas do local ou ações futuras, que além de suas funções eco-educacionais, também trarão novos colaboradores e entendedores desse processo que poderão se aproximar e potencializar essa gestão.

Pense na minimização e reutilização de todos os materiais utilizados no evento, como ingressos, banners e fichas de bar. O que diminui a geração de resíduos, além de tornar uma alternativa econômica para os eventos subsequentes.

Lembre-se dos BANHEIROS, caso o evento vá acontecer em espaço público. Banheiros Químicos podem ser uma boa alternativa, outra solução é a parceria com os comerciantes no entorno do evento, visando orientar o público a não urinar na rua – um grande problema dentro de eventos em locais abertos.

Para espaços naturais,  havendo possibilidade estrutural, a construção de banheiros ecológicos (fossas secas) podem funcionar como uma alternativa de mais baixo custo e que dialoga diretamente com a gestão natural do local.

Resíduos invisíveis, as bitucas de cigarro: que tal pensar em #BITUQUEIRAS? Elas funcionam como cinzeiros móveis e também fixos nas áreas de fumantes, e são alternativas para as bitucas não irem pro chão. Algumas empresas de garrafas pet disponibilizam à baixo custo (ou até mesmo através de parcerias) pré-formas do material, geralmente não aprovadas no teste de qualidade, que servem como bituqueiras individuais, além de outros modelo artesanais. Busque soluções criativas que ajudem a diminuir os danos ao planeta. Caso a distribuição de bituqueiras não seja possível, uma simples caixa com areia na área de fumantes já auxilia para a posterior coleta de bitucas e destino correto (aterro sanitário).

#GratisFeira Tudo que não precisamos mais é lixo, mas o que é lixo pra uns é luxo pra outros. Que tal pensar em Feiras livres, sejam Mercado das Pulgas, Feiras da Barganha, ou Mercado dos Grilos. Estas são oportunidades para o intercâmbio de materiais e aquisição de bens, sem a necessidade de moeda como moderador da troca. Na feira todo valor atribuído aos pertences é subjetivo e está sujeito a transformações. Existem muitos brechós e expositores que compram a ideia com você! Mapeie em seu território, quem são as pessoas que desenvolvem produtos que podem ser compartilhados nesse formato feira, que podem ser de trocas ou com valores solidários.

Incentive as pessoas a levarem coisas, que não são mais úteis a elas, mas teriam muita utilidade a outras. Disponibilize um espaço para exporem suas coisas. Isso estimula o sentimento de solidariedade e respeito ao meio, que nos fornece toda sua matéria prima sem pedir nada em troca. Um bom exemplo que pode ser seguido é o da “Grátis Feira” ou “Feira da Gratidão”, onde você deixa o que pode (se pode) e leva o que quiser. Existem várias soluções criativas. Pratique!

Meios Alternativos de Transporte

Já é sabido por todos nós, principalmente se vivemos em meio urbano, que nossas vias já não suportam o tráfego de veículos. Assim, essa campanha visa promover meios alternativos de transporte, devendo ocorrer em locais que permitam acesso por meio de transportes coletivos e/ou não poluentes.

Crie roteiros e incentive o público a chegar aos locais do Grito Rock, por meios alternativos de transporte, como a bicicleta, skate, o transporte público e as caronas solidárias. Por que ir sozinho num carro se você pode levar mais quatro amigos, não é verdade?

#VaiDeBike lembre-se que ao incentivar as pessoas chegarem de bicicletas, você deve pensar também em onde as “magrelas” ficarão guardadas. Pra que a campanha funcione, o ciclista deve sentir-se seguro pra curtir todo o potencial do seu evento. Algumas sugestões são os bicicletários de pallets, de pneu velho, ou mesmo uma parceria com lojas de esportes que possam colocar o equipamento. Já imaginou cem ciclistas chegando juntos ao seu evento? Em muitas cidades do mundo estão ficando conhecidas as bicicletadas, skateadas e outras movimentações que tratam sobre a mobilidade nos meios urbanos. Pauta quente!

#VamoJunto Incentive as caronas solidárias, elas são alternativas viáveis e baratas que, além de contribuir com o caos do trânsito, proporciona maior interação e momentos agradáveis entre grupos de amigos e conhecidos. A ideia é criar e acompanhar um grupo de caronas para o seu Grito Rock – um canal para o público pedir e oferecer carona.

Plantio de Mudas

#Plantação Que tal conhecer e construir novos espaços verdes e que interajam com o meio ambiente?
Em toda cidade ou há alguma área verde preservada, ou alguma área degradada que necessite da atenção da população. Procure praças, parques, museus naturais, orquidários e ecovilas! Leve as pessoas que estão circulando pelo seu Grito Rock nesses locais. A ideia é incentivar o conhecimento e vivência de espaços que permitam a conscientização ambiental.

photo_2016-02-23_01-32-27

Caso sua cidade não possua um roteiro ambiental, chegou a hora de criar. Para isso, um bom começo é o plantio de mudas de árvores. Plantar mudas eleva a auto-estima das pessoas que estão plantando e também daquelas que desfrutarão da presença e frutos dessas árvores.

Cada produtor do Grito Rock, possui autonomia de gerenciamento metodológico desse processo e deve expressar sua diversidade cultural, neste caso, através do plantio, por exemplo, de espécies nativas de sua região. Frutíferas também são uma boa. Essas mudas podem ser conseguidas através de apoio de ONGs, Secretarias de Meio Ambiente e outras entidades, além de doação do próprio público.

Uma outra dica é conhecer e desenvolver também um diálogo com a permacultura e a bio construção, duas tecnologias de integração do homem com seu meio, na criação e transformação de ambientes a partir de recursos disponíveis. Busque parcerias! Que tal uma super estrutura de bambu pro palco? Ou expositores com materiais reutilizados? Ou ainda a cenografia ecológica do seu evento? Essas podem ser desenvolvidas pelos bio construtores, e também em oficinas junto ao público. Técnicas sustentáveis de construção ajudam na preservação do ambiente, são bons exemplos pra sociedade, e são lindas!

Linguagens Ambientais

Hora de dialogar com outras linguagens que possam interagir com seu Grito e a temática ambiental.

#SarauVerde São eventos culturais onde as pessoas se encontram para se expressarem ou se manifestarem artisticamente a respeito de temas socioambientais. Podem envolver dança, poesia, música, teatro, leitura de textos, pinturas e demais produções artísticas. Uma reunião de exposições caracterizada pela inovação, descontração e satisfação.

Apresentações de filmes também são bem interessantes na construção de um diálogo socioambiental. Não são poucas as produções que questionam o modo de vida atual e os problemas ambientais que o planeta enfrenta atualmente. Aliando-se a tais trabalhos a promoção de um debate bem embasado, o Cineclube se mostra bem eficaz na difusão do ideal sustentável.

Planejamento do ambiente cognitivo

Sejam oficinas, vivências, debates ou percursos, todos estes são momentos especiais de trocas de experiências e formação livre. É importante mapear as principais demandas de formação, para assim desenvolver uma grade de oficinas que tenham em foco a sua cidade e região, dentro da linguagem ambiental.

Existe um leque grande de oficinas manuais utilizando resíduos sólidos (recicláveis) que ajudam a retirar esse resíduo dos lixos, dando novo e criativo uso aos mesmos.  Para isso, é interessante um mapeamento dos agentes de sua cidade e região, e também uma parceria com a Universidade Fora do Eixo. Procure escolher, ambientes que ajudem a prática, e se possível, que conecte o participante ao ambiente. Que tal pensar numa praça, ou um jardim? Esses ambientes também ajudam a elevar a felicidade.

Além das atividades de formação, o ambiente cognitivo também é formado pelo sentimento espacial das pessoas que estarão no seu evento. Decoração sustentável, lixeiras, bicicletários… tudo isso estimula o visual e agregam bons exemplos de vivência no seu Grito Rock.

Não se esqueça da sistematização! É importante sabermos os reais resultados, como quantas pessoas participaram e quem puxou a oficina. Essa sistematização deve ser feita ao longo do processo, pra não perdermos nenhum tipo de informação. Isso ajuda nossa equipe na continuação do desenvolvimento de ações sustentáveis, e cada vez mais, junto aos parceiros. Se quiser entre em contato conosco (gritorock@foradoeixo.org.br), estamos a disposição para auxiliar nas ações que acontecerem.

Planejamento da comunicação

– Enviar convites para colaboradores, parceiros e viventes. Convocando geral a participar;
– Decupagem de todas as ações (sistematizar, fotografar e filmar);
– Construir flyer virtual com as ações;
– Fazer assessoria de imprensa/comunicação (criar release, juntar material e enviar para imprensa local);
– Incluir mensagens de conscientização nos ambientes e incentivar os artistas a abordarem o tema no palco;
– Tentar transmitir as ações pelo PósTv;
– Evitar “delay” na narrativa, ou seja, sempre subi-las para as redes sociais durante ou logo após as ações.

Mãos a obra!

Gostou das nossas sugestões para um Grito Rock sustentável? Então bora aderir nossa campanha Grito Verde! Basta acessar o link e se inscrever. Temos uma equipe disponível pra colaborar com você no que precisar. Vamos planejar juntos!

Caso precise entre em contato com a gente: gritorock@foradoeixo.org.br

Atendimento – Coordenador da campanha:
▪ Hadd Dalton
Skype: hadd.dalton
Telegram: @Hadd_Dalton
Telefone: 11 97020 4858
daltonhadd@gmail.com

Coordenação Geral de Campanhas:
▪ Irlana Cassini
Skype: irlana.cassini
Telegram: @IrlanaCassini
Telefone: (31) 2510-8830 | (31) 9 9923-1848
irlanacassini@gmail.com

Coordenação de Comunicação:
▪ Dênis Nacif
Skype: denisnacif
Telegram: @denisnacif
Telefone: (85) 3262 5011 | (83) 99909 3442
denisnacif@gmail.com

Este post também está disponível em: Espanhol